Soneto de agradecimento

Vendo aquele quadrado de papel
não vi o sobrenome desse Ferreira,
que não escapa de nenhuma babel.
Como destino mesmo que não queira.

Jovens que reúnem-se aos borbotões
para ver aquele magro de peso
que consegue afastar de si grilhões
e assim, em palavras, alçar vôo ileso.

A providência eu fico a agradecer,
sempre lembrando os que estão nesse plano
e fizeram milagre acontecer.

Alegria selada na memória,
sem dúvida o acontecimento do ano,
que repetirei em toda minha história.


 

07/04

Histórico:

 

Uma singela homenagem a Ferreira Gullar, quando ele foi ministrar uma palestra na universidade que eu cursava minha graduação.

 

RS