Amor de um só tom

 

Autor: Rodrigo Sousa

 


Posso até ver o corcovado,

mas sem este seu olhar,

fico cantando desafinado,

falando de amor em poema.

Ela é carioca sem par,

minha garota de Ipanema.

 

Meu samba não é de bim bom.

Meu samba é de passarim.

E que conheço um só tom

e o sobrenome dele é Jobim.

 

Chega de saudade em meu coração.

São águas de Março estes fatos meus.

E assim, em profunda meditação,

juro pela minha água de beber

e também pela luz dos olhos teus,

que só tinha de ser com você.

Histórico:

 

 

RS